Mulher Rodada




Em minhas peregrinações na Internet já me deparei com diversos textos que tentavam definir o que seria uma "muher rodada". Neles encontrei uma mistura de características comuns, que às vezes se confundem com as de mulheres histriônicas, promíscuas, e demais espécies de nossa fauna feminina, e que não servem como base para a aferição da quilometragem da mulher. Sendo assim, decidi criar minha própria definição e lista de características, baseado em minha experiência pessoal.

Antes de tudo é necessário discutir o que exatamente define uma mulher "rodada". Para todos os fins e propósitos, entende-se como "rodada" a mulher que acumulou um número expressivo de parceiros sexuais e relacionamentos fracassados, desproporcional ao que seria natural e moralmente aceitável, tendo com isso adquirido experiências e assimilado tal conhecimento do universo masculino que, via de regra, a tornam uma expert nas artes obscuras da manipulação de seus novos parceiros.

Mesmo que o comportamento manipulador seja prejudicial às suas novas tentativas de estabelecer e manter relacionamentos, ela acaba por manifestá-lo espontaneamente, como um reflexo-condicionado, tornando-se traço permanente de sua personalidade. Não que isso a exima de culpa pelo fracasso de seus novos relacionamentos, mas esclarece que sua "quilometragem" é a fonte (retro-alimentada) de seu comportamento manipulador.

Algumas características comportamentais são bem acentuadas em mulheres rodadas, e podemos facilmente reconhecê-las. Vejamos: