A Vingança da Piriguete




Refletindo sobre alguns fatos que observei recentemente, noto que a piriguetice é uma condição retro-alimentada. Quanto mais promíscua, carente, e desesperada é a mulher, mais promíscua, carente e desesperada se tornará. E tudo isso tem a ver com sua necessidade de vingança, e os métodos por ela empregados para esse fim.



A piriguete, ao longo de sua carreira, adiciona uma lista enorme de cafajestes ao seu curriculum; refina suas técnicas de conquista e controle; aumenta seu potencial de sedução; e chama tudo isso de "independência".

Quando essa situação se revela ao Homem que está com ela, a não ser que ele seja completamente desapegado e que não a considere em seus planos futuros (típico cafajeste), ele naturalmente a abandonará, pois todo esse comportamento, passado e presente, mostrará que ela não é digna de confiança.

A piriguete, "vítima" do abandono, se sentirá humilhada e se "vingará" da maneira que lhe é mais natural, qual seja, pegando algum cafajeste o mais rapidamente possível!

Ela faz isso numa tentativa de demonstrar que está "por cima", que o ex-trouxa "não sabe o que perdeu", e que a solidão jamais a alcançará.

Mente para si mesma, pois um apaixonado não a mandaria embora, e um desapegado só pode ter pena dos próximos trouxas que ficarem com ela, que sentirão sua gala por tabela, e terão de aturar o comportamento dela enquanto aguentarem.

Ao ficar com outros homens por vingança, ela somente reforça as máculas e os desvios de sua personalidade (promiscuidade, carência, e desespero), retro-alimentando assim sua condição de piriguete sem dono.

Esse círculo vicioso é o karma da piriguete que não o reconhece, e será o pesadelo de todos os Homens dignos que se aventurarem a manter um romance com ela.


Rooster

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários aqui são moderados, podendo ser aprovados ou rejeitados a exclusivo critério do autor do blog.